segunda-feira, 20 de julho de 2009

me dê o rítimo e os acordes...

Eu que não tenho perspectivas

E meu passado não me agrada

Só tenho o meu presente

E desperdiço-o...

Com sentimentos que considero inúteis

Mas que não consigo viver sem

Eu, que me considero à frente do meu tempo

Apego-me a valores antiquados

Não o “eu” que as pessoas conhecem

Mas o “eu” que ninguém vê

O mesmo “eu” que as pessoas dizem amar

Mas poucas morreriam por ele

O mesmo “eu” que tenta esconder sua timidez

Com palavras que alegram

O “eu” que todos vêem

Pode parecer contente

Mas o ”eu” que ninguém vê

Fica se corroendo por dentro

Quer saber...

Faça o que quiser com esse “eu”

Porque eu não ligo mais.

[Zé gordo](29/07/2008 às 2:30 am)

Nenhum comentário:

Postar um comentário